1. Home
  2. CIA
  3. AÉREAS
  4. Brasileiro continua no comando da TAP

Brasileiro continua no comando da TAP

0
0

Governo Português busca no mercado internacional um nome para substituir Antonoaldo Neves

Antonoaldo Neves, continua no comando da TAP

O Governo Português vai manter o brasileiro Antonoaldo Neves no comando da TAP, até encontrar um nome que possa substituí-lo até pelo menos, quando acontecer uma assembleia geral da empresa. Segundo o ministro das infraestruturas Pedro Nuno Santos, em entrevista ao portal Dinheiro Vivo, quebrando o silêncio imposto à imprensa, sobre qualquer assunto relacionado a companhia aérea portuguesa

“A comissão executiva está no seu exercício pleno de funções. A substituição, a acontecer, depende de uma assembleia-geral, não digo da Azul, mas da própria da TAP. Quando tivermos em condições de ter um nome para assumir as funções, a assembleia-geral da TAP tomará uma decisão nesse sentido. De qualquer forma, o acordo que está feito com David Neeleman passa pela substituição do CEO”, disse ele. A notícia foi grande surpresa para a imprensa

Segundo o ministro o Governo está em busca de um nome para comandar a empresa. “Queremos um processo de seleção profissional e internacional com recurso a uma empresa de head hunting e essa escolha será feita a breve prazo. Vamos fazer este trabalho a dois níveis: a escolha do CEO implicará uma identificação no mercado internacional”, declarou Nuno Santos, que reconhece que dificilmente em Portugal encontrará alguém no mesmo nível que o brasileiros Antonoaldo Neves

“O mercado nacional era obviamente altamente limitado no que toca ao setor da aviação, mas queremos também uma avaliação das primeiras linhas da própria TAP, porque sabemos que temos quadros de grande valor dentro da companhia e queremos perceber quais são as características e competências dos diversos colaboradores da própria TAP”, disse o ministro.

“Para CEO talvez não, mas essa avaliação vai ser feita também. Isto é, vários dirigentes da TAP de primeira e segunda linha serão também bem avaliados por uma empresa de head hunting para facilitar a reorganização futura”, declarou Nuno Santos, que está preocupado com a demora para se colocar a TAP voando, já que é a única grande companhia europeia ainda em solo.

“Mas não temos muito mais tempo a perder, precisamos de uma nova equipa que atuará interinamente até uma solução definitiva. Há um quadro legal que permite o reforço da posição do Estado na TAP”, diz o ministro.

Quanto a permanência, ainda de David Leeleman como sócio privado da TAP, Nuno Santos disse que “logo que haja condições. É sabido que a Azul tem uma assembleia- geral no dia 10 de agosto… Em relação à ajuda que vai ser prestada à TAP: a ideia era que o empréstimo poderia ir até 1,2 mil milhões e uma parte podia ser convertida em capital… Dos 1,2 mil milhões, 946 milhões eram empréstimo e o remanescente era como uma espécie de CoCos”, enfatiza ele.

                                    Ministro Nuno Santos, das infraestrutura, a procurar de um nome no mercado internacional para substituir o brasileiros Antonoaldo Neves

Ajuda financeira

Segundo Nuno Santos, o Governo Português está autorizado “a injetar até 1200 milhões de euros, sendo que a nossa estimativa é de 946 milhões até ao final do ano. Temos aqui uma almofada de mais cerca de 250 milhões de euros. Na prática, já temos uma autorização por parte da Comissão Europeia para um auxílio no montante de 1200 milhões de euros; o que vai acontecer no momento da reestruturação, sobre esses 1200 milhões, ainda não conseguimos prever; parte pode ter de ser convertida em capital, parte pode manter-se dívida com uma maturidade alargada, parte pode ser simplesmente para limpar prejuízos passados… Mas isso vai decorrer do plano de reestruturação que vamos desenvolver. Tem uma parte operacional e uma parte financeira. Depois será negociado com a Comissão Europeia”, declarou anda o ministro.

Nuno Santos acredita que a disse que Portugal tem seis meses para submeter à Comissão Europeia o plano de reestruturação. “Se conseguíssemos antes, melhor. Se não, precisaremos dos seis meses. É um processo relativamente complexo, será um plano de reestruturação que ao mesmo tempo será um plano de negócios e um plano estratégico… Teremos de pensar o futuro da TAP do ponto de vista operacional, tendo como base que empresa é que nós queremos no futuro”, destaca ele.

Segundo Nuno Santos “a margem de manobra do governo só está limitada pela realidade da própria TAP e pela realidade do mercado de aviação. O trabalho com a Comissão Europeia é um trabalho de interação que existe em vários dossiês, como foi com a capitalização da Caixa Geral de Depósitos e acontecerá também naturalmente com a TAP. O importante é conseguirmos encontrar o melhor equilíbrio entre um redimensionamento da empresa que a mantenha viável, que garanta viabilidade futura, mas ao mesmo tempo uma dimensão que permite a TAP servir a economia nacional como hoje serve”, disse ele

O ministro voltou a comentar a possibilidade das demissões devido a “reestruturação”. “Obviamente que teremos uma redução, isso é inevitável num processo de reestruturação. É o que está a acontecer com todas as companhias aéreas do mundo, sendo que o governo português está consciente de que há um patamar para baixo a partir do qual não queremos passar, porque aí estaremos a prejudicar a capacidade da companhia aérea de dar resposta às nossas necessidades. Mais do que isso, servir a economia nacional”, disse ele.

Indagado se existe alguma “pressão” do Comitê Financeiro de Bruxelas para realizar a “reestruturação Nuno Santos disse que “se olharmos com atenção para o que está em causa, é a realidade que impõe essa reestruturação. Qualquer companhia aérea, mesmo aquelas que não estando em dificuldades em 2019 e que puderam recorrer ao quadro temporário covid, estão a passar por reestruturações. Todas as companhias aéreas estão a devolver aviões, a despedir ou a reduzir o seu quadro pessoal. A reestruturação é uma imposição de uma realidade absolutamente inesperada, que no caso da TAP acresce ao facto de a empresa estar em dificuldades já em dezembro de 2019”, finalizou