1. Home
  2. DESTINOS
  3. O futuro do turismo: sustentável, responsável e inteligente

O futuro do turismo: sustentável, responsável e inteligente

0
0

No dia em que a vice-presidente executiva da Comissão Europeia, Margrethe Vestager, afirma esperar que o livre-trânsito digital, proposto por Bruxelas, permita um “verão normal” na União Europeia (UE), dizendo contar com a presidência portuguesa para conseguir avanços rápidos no Conselho, o Parlamento Europeu lança um vídeo no seu website no qual aponta qual o futuro do turismo.

A Europa é o destino turístico mais popular do mundo e quando o turismo voltar, após mais de um ano de perturbações devido à pandemia, o Parlamento pede um plano para torná-lo mais verde e sustentável.

Durante esta semana, uma Task Force’ do Turismo do Parlamento Europeu, liderada pela portuguesa Cláudia Monteiro de Aguiar (PPE) reuniu-se, juntamente com István Ujhelyi (S&D) e Ramon Bauzà Díaz (Renew Europe), com secretária de Estado do Turismo (SET), Rita Marques, em representação da Presidência Portuguesa da União Europeia, para apelar aos Estados-Membros para “uniformizarem os protocolos sanitários para as regras de viagem dentro União”, além de “coordenarem com países externos, testes à partida, para evitar quarentenas desproporcionais e medidas díspares, e um certificado de vacinação interoperável sendo possível já este verão”, modo a “evitar os erros do passado”.

Agora, Cláudia Monteiro de Aguiar destaca, em vídeo, a importância da sustentabilidade para o futuro do turismo. No vídeo, são colocadas questões como: “E se a próxima pausa fosse mais sustentável?” ou “Como passar férias com menor impacto ambiental?”.

Certo é que, à medida que emergimos da pandemia, o Parlamento Europeu (PE) apela a um roteiro para um turismo sustentável, responsável e inteligente. Os eurodeputados querem ver novas medidas para reduzir a pegada climática e ambiental do setor. “Não estamos a falar apenas de hotéis, restaurantes, precisamos entender toda a cadeia”, refere a eurodeputada portuguesa. “Onde podemos desacelerar o impacto que temos na Terra, nas metas de sustentabilidade?”, questiona Cláudia Monteiro de Aguiar.

Uma forma de viajar verde é priorizar o rural ou o agroturismo e evitar a superlotação em regiões populares. O Parlamento propõe-se, agora, alargar o “Ecolabel” turístico: um sistema que certifica alojamentos e operadores turísticos amigos do ambiente, permitindo aos turistas “dormir com a consciência limpa”.

Reconhecendo que, de longe, o maior poluidor quando se trata de turismo “é o transporte”, o PE deseja que as viagens ferroviárias desempenhem um papel importante no sentido de tornar o turismo na UE mais ecológico. Os eurodeputados apelam também a mais apoio da UE para a transição para combustíveis mais limpos e formas alternativas de transporte. Para impulsionar uma recuperação pós-pandemia verde, o Parlamento apela a que os países da UE “apoiem o turismo por meio de planos de recuperação e uma redução temporária do IVA para o setor” e que “a reabertura” deve fazer parte da estratégia COVID-19 da UE, “com etapas como um certificado de vacinação comum”.