1. Home
  2. CIA
  3. AÉREAS
  4. CEO da Ryanair diz que ajuda da TAP é “escandalosa” e entra com ação judicial

CEO da Ryanair diz que ajuda da TAP é “escandalosa” e entra com ação judicial

0
0

 

Ryanair Chief Executive Officer Michael O’Leary attends a news conference in Brussels, Belgium, February 8, 2017. REUTERS/Francois Lenoir

A Companhia aérea Ryanair entrou com uma ação judicial contra a ajuda financeira do Governo Português e da União Européia a TAP. O CEO Eddie Wilson, em entrevista a Agência de Notícia Lusa, declarou que considera a ajuda de 1,2 mil milhões de euros concedido à TAP é “escandaloso” e “o maior desperdício de dinheiro de sempre em Portugal”, defendendo que se o Governo queria apoiar as companhias aéreas, deveria ter optado por abolir as taxas nos aeroportos nacionais.

Segundo ele é inadmissível que os contribuintes portugueses tenham de pagar 1,2 mil milhões de euros para manter uma companhia aérea que “tem uma cor especial na cauda do avião é escandalosa”. Para Eddie Wilson “não existem transportadoras nacionais, estamos todos na União Europeia”.

Segundo o CEO da Ryanair, “a capitalização da TAP vai ser o maior desperdício de dinheiro de sempre em Portugal e não fazer nada para criar mais rotas e conectividade”, defendendo ainda que “se o Governo português tem 1,2 mil milhões de euros em trocos para companhias áreas o que devia ter feito era abolir as taxas nos aeroportos portugueses nos próximos três anos e encorajar as companhias aéreas a trazer mais tráfego, o que criaria mais empregos”.

Além de escandaloso, Eddie Wilson considera ainda que o apoio concedido à TAP é uma ideia “antieuropeia e anticoncorrencial”, uma vez que não promove o investimento em Portugal e vai provocar “estragos enormes” no projeto europeu e na credibilidade da Comissão Europeia”.

Recorde-se que a Ryanair apresentou, para já, seis processos contra as ajudas às companhias aéreas europeias, incluindo a concedida à TAP, bem como contra a autorização da Comissão Europeia às ajudas estatais à aviação, numa altura de profunda crise no setor devido à pandemia de Covid-19.