Home CIA AÉREAS Ministro Nuno Santos diz que haverá demissões na TAP

Ministro Nuno Santos diz que haverá demissões na TAP

0
0

                                      Ministro Nuno Santos disse que as demissão vão ocorrer

 

O ministro das infraestruturas, Pedro Nuno Santos, admite que haverá demissões na TAP e que não há o que fazer, já que a empresa não pode continuar com o tamanho que tem, no atual cenário da econômica mundial com a pandemia. Segundo ele a ajuda financeira para companhia aérea terá que ser realizada, pois trata-se de uma empresa estratégia para Portugal.

 

Segundo ele graças a TAP, existem outros milhares postos de trabalho relacionados a atividade turística e sem a empresa a funcionar, muitos outros trabalhadores perderão seus empregos, por isso a necessidade do Estado ajudar financeiramente a empresa. O ministro disse ainda que não se sente bem em injetar 1,2 bilhões de euros na companhia; mas que isso terá que ser feito para não causar um impacto pior na economia portuguesa.

 

Pedro Nuno Santos chegou a dizer que talvez seja preciso até mais recursos para manter a TAP funcionando, já que não se tem um prazo de quando a vacina para o covid-19 esteja disponível para o mundo para que a situação possa voltar ao normal.

                     Antonoaldo Alves continua no comando da TAP e havia prometido não fazer demissões se ajuda fosse dada

Privados não iam demitir

As declarações do ministro contradizem, o que os sócios privados haviam prometido se continuasse no comando da empresa, que era de não realizar demissões e manter não só os empregos, mas os planos de expansão com novas rotas para destinos turísticos.

 

A TAP tem como o seu maior faturamento as rotas para o Brasil, mas a Comunidade Europeia fechou as fronteiras para os brasileiros. Por ano, a empresa transporta 1.2 milhões brasileiros e 120 mil portugueses apenas. Estes números demonstram que sem o Brasil, a sobrevivência da TAP é muito difícil.

 

A companhia continua sob o comando (controlado) do brasileiro Antonoaldo Neves, pelos menos até que o Governo Português consiga encontrar alguém capacitada para assumir a presidência da TAP. Para isso o próprio ministro, em outra entrevista na semana passada, chegou a reconhecer que está procurando na comunidade internacional, já que nos quadros do Governo, nem da TAP, haja alguém a altura.

 

Enquanto isso a TAP é a única empresa grande empresa aérea ainda em solo no mundo e perdendo rotas para outras companhias como a alemã Lufthansa.