Home CIA AÉREAS Chairman da TAP cobra ajuda do Governo português

Chairman da TAP cobra ajuda do Governo português

0
0

 

 

 

Enquanto a Azul de Davdi Neeleman anuncia datas para a volta dos voos diário para Portugal, a TAP continua aguardando a resposta do governo português quando a ajuda financeira, prevista pelas empresas que entraram no chamado lay off, que prevê o pagamento de 70% dos salários dos trabalhadores pelo Estado e 30% pela empresa.

 

Hoje pela manhã o chairman da TAP, Miguel Frasquilho falou no Parlamento cobrando uma resposta do Governo português a ajuda que até agora não chegou. A cobrança do chiaman (presidente do conselho) tem respaldo, já que o Governo é acionista majoritário da empresa.  “Temos a expectativa que possamos conhecer essa resposta muito em breve”, realçou.

Frasquilho destacou no Parlamento que a ajuda a TAP segue o que em vários países já ocorreu, onde os governos ajudaram as companhias aéreas nacionais, como nos Estados Unidos, Alemanha e Inglaterra. A TAP é a companhia aérea que tem mais ligações de voos regulares na Europa e é o hub para as Américas tanto do Norte como do Sul.

Para o ‘chairman’ a ajuda do Estado pode significar um “reforço da posição acionista”, o que “não pode ser descartada” no contexto atual, como “nenhum cenário pode ser descartado”.

“Estamos conscientes que esse auxílio” irá aparecer “com condicionalismo associado”, uma vez que “quem ajuda pode impor condições”, declarou ele. “Estou certo que vamos encontrar a melhor solução para a TAP para garantir o futuro da companhia”, finalizou.

Nota

Toda grande empresa de capital aberto possui algo chamado conselho de diretores ou quadro de conselheiros ou como é mais chamado: “o conselho”. Esse conselho representa os interesses dos investidores e costuma ser formado por pessoas de diversas áreas (até advogados) de dentro e de fora da empresa que são escolhidos de forma externa. O papel deles é agir como advogados dos acionistas, balancear interesses e assegurar-se de que todos estão felizes e satisfeitos. Como de costume, esse “grupo” tem um responsável, e ele é chamado de chairman.