1. Home
  2. CONEXÃO
  3. BRASIL
  4. Parque de observação de aves no Brasil bate recorde de visitantes

Parque de observação de aves no Brasil bate recorde de visitantes

0
0

 

O turismo de observação de pássaros vem crescendo a cada ano e só para se ter uma idéia desse publico, cerca de 46 milhões de pessoas no mundo dedicam suas viagens especificamente para fotografar esses irmãozinhos da natureza.

No Brasil já existem alguns hotéis e pousada que atende somente esse público, que só pode se hospedar com visitação programada, começando pelo limite de pessoas. Um desse lugares é o Parque das Aves em Foz do Iguaçu (PR), que em 2019 bateu recorde de visitação.

Em Alagoas, alguns lugares já oferecem condições para o desenvolvimento desse tipo de turismo como a Reserva Ecológica do Castanho, em Delmiro Gouveia, no Sertão, que possui restaurante e pousada, além dos passeios pelos Cânions do São Francisco e a Pousada Paraíso dos Coqueirais, em Japaratinga, Litoral Norte de Alagoas.

 

 

 

Considerado o maior parque de espécies de aves da América Latina, o Parque das Aves, em Foz do Iguaçu (PR), recebeu mais de 936 mil turistas em 2019, um aumento de 12,8% se comparado ao ano de 2018. Em novembro, o Parque já havia superado o próprio recorde anual, que era de 830 mil visitantes. Única instituição do mundo focada na conservação de aves da Mata Atlântica, o atrativo espera receber mais de um milhão de pessoas em 2020.

Diretora administrativa do Parque, Jurema Fernandes afirma que esse é um marco importante para o desenvolvimento do turismo no Brasil. “O propósito do Parque das Aves é atuar firme no ecoturismo, cumprindo sua função socioambiental, apoiando-se no tripé da conservação do meio ambiente, conscientização ambiental dos visitantes e o envolvimento da comunidade local”, revela.

 

Segundo ela, tais pilares garantiram um crescimento significativo, mas sustentável, no número de turistas. Aberto para visitação em 1994, o local já recebeu mais de 9,3 milhões de pessoas. Em 2019, passou por mudanças significativas, como a repaginação da trilha, completamente focada em aves da Mata Atlântica. Os esforços valeram a consolidação do Parque das Aves como Centro de Conservação Integrada de Espécies da Mata Atlântica.

No entendimento da Confederação Nacional de Municípios (CNM) – que, por meio da área técnica de Turismo, vem acompanhando o crescimento do setor em nível local –, um dos fatores que alavancam as visitações nesse e em outros pontos turísticos do Brasil é a isenção de vistos para países estratégicos. A medida estimula a vinda de estrangeiros e resulta no aumento expressivo de turistas circulando pelo país. No caso do Parque das Aves, outro fator contribuiu para o recorde: a constante readequação e modernização da estrutura, cuja direção busca atender constantemente novos nichos de mercado.

Metas
Para 2020, eles esperam alcançar a marca de um milhão de visitantes com ampliação da infraestrutura e ações de promoção. O novo complexo em construção, a ser lançado ainda neste ano, terá dois viveiros de imersão. O local vai se chamar Cecropia e vai abrigar periquitos e tucanos resgatados de tráfico e maus-tratos.

As expectativas de crescimento valem também para o número de turistas estrangeiros. A isenção dos vistos para Estados Unidos, Canadá, Austrália e Japão, além da melhoria da conectividade com os países andinos, com voos de conexão direta para Foz do Iguaçu, são estímulos. Por último, vale destacar os feriados de 2020, ano que terá quase o dobro de recessos de 2019. Ao todo, serão nove datas comemorativas, entre feriados e pontos facultativos, próximos de finais de semana, mais os feriados estaduais e municipais, além da alta temporada das férias do meio e do final do ano.

Com 25 anos de atuação e 260 colaboradores, o Parque das Aves possui 16 hectares de mata restaurada, 1.300 aves de 130 espécies diferentes, com três viveiros de imersão e um borboletário. A estrutura foi criada com o objetivo de proteger e valorizar as aves da Mata Atlântica, principalmente as 120 espécies e subespécies em risco de extinção. O Parque é considerado o atrativo mais visitado de Foz do Iguaçu depois das Cataratas. Funciona diariamente das 8h30 às 17h e tem taxas de visitação diferenciadas para moradores da cidade e de Municípios da região, além de crianças até oito anos.