Home CIA AÉREAS Easyjet é a primeira companhia aérea a compensar emissão de g

Easyjet é a primeira companhia aérea a compensar emissão de g

0
0

 

O mundo está cada vez a fica mais quente com a elevação da temperatura devido a destruição da camada de ozônio. E nos últimos anos as companhias aéreas têm sido acusadas de serem as maiores poluidoras do ar. Contudo ações isoladas estão sendo realizadas graças a pressão popular e algumas empresas saíram na frente para ajudar na contenção do aquecimento global.

 

Entre essas empresas está a easyJet que tornou-se a primeira companhia aérea no mundo a compensar a totalidade das emissões de carbono do combustível utilizado nos seus voos. Uma reinvenção da aviação a longo prazo, através de novas tecnologias.

 

A easyJet anunciou, que se tornou a primeira companhia aérea no mundo a realizar voos com um impacto líquido de emissões de carbono zero, em toda a rede. A easyJet irá realizar a compensação das emissões de carbono através de estratégias credenciadas, por dois dos mais altos padrões de verificação, Gold Standard e VCS, onde se destacam projetos florestais, renováveis e comunitários. No entanto, esta é só uma medida provisória enquanto novas opções tecnológicas são desenvolvidas.

 

Johan Lundgren, CEO da easyJet, afirmou: «Reconhecemos que a compensação é apenas uma medida provisória, até que as outras tecnologias estejam disponíveis, para reduzir radicalmente as emissões de carbono nos voos, mas queremos agir imediatamente sobre está problemática.»

A companhia aérea vai continuar a apoiar tecnologias inovadoras, incluindo a criação de aviões híbridos e elétricos, de maneira a reinventar e descarbonizar a aviação a longo prazo. O objetivo passa pela redução da necessidade de compensação de carbono, através da implementação de medidas que surjam com estas novas tecnologias. A Airbus e a easyJet já anunciaram uma parceria para o estudo e desenvolvimento deste tipo de aeronaves.

 

As duas empresas assinaram um Memorando de Entendimento (MoU) para o aprofundamento dos desafios operacionais e de infraestrutura de aeronaves híbridas e elétricas, utilizando diferentes fontes de energia.

 

«Estou bastante feliz por termos anunciado a nova parceria com a Airbus, de maneira a construirmos um novo avião elétrico. Trabalharemos juntos para identificar os desafios e requisitos técnicos detalhados dos aviões híbridos e elétricos, quando forem implementados para voos de curta distância pela Europa. Esperamos que este seja um passo importante para tornar os aviões elétricos numa realidade», disse ele.

 

A easyjet  irá também estimular o desenvolvimento de tecnologias avançadas de captura de carbono e de combustíveis de avião sustentáveis (SAFs). No que toca às atividades não-aéreas, a easyJet pretende a introdução de e-taxiing e de unidades auxiliares de produção de energia (APUs), para tentar reduzir as emissões de carbono.

 

Estas mudanças serão um acréscimo nos programas já existentes da easyJet, que incluem: a constante modernização da frota da easyJet, com aviões mais eficientes e baixo consumo de combustível; redução de ruído e maximização da taxa de ocupação o máximo possível.

A easyJet também se compromete a agir além das emissões de carbono, através da rápida redução do desperdício e da utilização de plástico de uso único na empresa e na sua cadeia de produção.

 

«As alterações climáticas são um desafio para todos nós. Na easyJet, estamos a enfrentar esse desafio através da compensação das emissões de carbono do combustível usado em todos os nossos voos. Ao fazê-lo, comprometemo-nos a realizar voos sem emissão de carbono, em toda a nossa rede – tornando-nos na primeira grande companhia aérea do mundo a fazê-lo», finalizou o CEO.